DISSERTAÇÃO    

                                 

É um gênero textual, uma modalidade de composição que visa analisar ou comentar expositivamente conceitos ou idéias sobre um determinado assunto. Pode apresentar-se de forma expositiva ou argumentativa. Possui uma natureza reflexiva que consiste na ordenação dessas idéias a respeito de um determinado assunto.

 

Dissertar é debater. Para discutir-se questões dos variados assuntos que a sociedade apresenta precisa-se da Dissertação. Aquele que desenvolve uma dissertação é comumente denominado de Enunciador de idéias. O Enunciador desenvolve o texto dissertativo sem usar primeira pessoa, expressando seu ponto de vista para desenvolvê-lo com concisão e clareza.

 

Essas idéias fundamentam sua posição, é necessário tentar convencer o leitor.  É por isso que toda dissertação deve ser desenvolvida em terceira pessoa. Estabelecer nos parágrafos do desenvolvimento as relações de causa e conseqüência, contribui para um texto correto e conciso. Frases curtas, linguagem direta apresenta um texto com estrutura organizada e idéias lógicas.

 

São três as partes básicas de uma redação dissertativa: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. Isso necessariamente não quer dizer que uma dissertação tenha que ter três parágrafos. O mínimo de parágrafos lógicos seriam quatro e no máximo cinco, por se tratar de um texto para leitura rápida e concisa.

 

Introdução ( Resumo )                       

Constitui o parágrafo inicial do texto e deve ter, em média, 5 linhas. É composta por uma sinopse do assunto a ser tratado no texto. Não se pode, entretanto, começar as explicações antes do tempo. Todas as idéias devem ser apresentadas de forma sintética, pois é no desenvolvimento que serão detalhadas.

 

Desenvolvimento ( Argumentação )

Esta segunda parte de uma redação, também chamada de argumentação, representa o corpo do texto. Aqui serão desenvolvidas as idéias propostas na introdução. É o momento em que se defende o ponto de vista acerca do tema proposto. Deve-se atentar para não deixar de abordar nenhum item proposto na introdução.

Pode estar dividido em 2 ou 3 parágrafos e corresponde a umas 20 linhas, aproximadamente.

 

A abordagem deve conter argumentos do tipo: Causas e conseqüências ou prós e contras. O conceito de argumento é importante, pois ele é a base da dissertação.

 

A reflexão sobre o tema proposto não pode ser superficial, para aprofundar essa abordagem buscam-se sempre os porquês. De modo prático o procedimento é:

 

Levantar os argumentos referentes ao tema proposto.

 

Fazer a pergunta por quê? a cada um dos argumentos, relacionando-os diretamente ao tema e à sociedade brasileira atual. 

 

Conclusão ( Perspectiva )                           

Representa o fecho do texto e vai gerar a impressão final do avaliador. Deve conter, assim como a introdução, em torno de 5 linhas. Pode-se fazer uma reafirmação do tema e dar-lhe um fecho ou apresentar possíveis soluções para o problema apresentado e apesar de ser um parecer pessoal, não se conclui.

 

Evitar começar com palavras e expressões como: concluindo, para finalizar, conclui-se que, enfim...

 

Apresentar perspectiva na conclusão é expor soluções para os problemas discutidos, visando à conscientização geral, retornando à introdução para concluir a redação. É iniciar a conclusão com frases como:
Com base no exposto é necessário que todos se conscientizem de que...
É imprescindível que a sociedade se conscientize de que...
É preciso que haja uma conscientização por parte dos cidadãos para que...

Também: Usar conjunção coordenativa conclusiva (logo, portanto, por conseguinte, por isso, então...).

 

Evitar numa dissertação                    

Após o título de uma redação não coloque ponto.

Ao terminar o texto, não coloque qualquer coisa escrita ou riscos de qualquer natureza. Detalhe: não é necessário autografar no final.

Preferir usar palavras de língua portuguesa a estrangeirismos.

Não usar chavões, provérbios, ditos populares ou frases feitas.

Não usar questionamentos em seu texto, sobretudo em sua conclusão.

Jamais usar a primeira pessoa do singular, a menos que haja solicitação do tema (Ex.: O que você acha sobre o aborto - ainda assim, pode-se usar a 3ª pessoa)

Evitar usar palavras como “coisa” e “algo”, por terem sentido vago. Preferir: elemento, fator, tópico, índice, item etc.

Repetir muitas vezes as mesmas palavras empobrece o texto. Lancar mão de sinônimos e expressões que representem a idéia em questão.

Só citar exemplos de domínio público, sem narrar seu desenrolar. Fazer somente uma breve menção.

A emoção não pode perpassar nem mesmo num adjetivo empregado no texto. Atenção à imparcialidade.

Evitar o uso de etc. e jamais abreviar palavras.

Não analisar assuntos polêmicos sob apenas um dos lados da questão

 

Para uma boa redação                       

Coesão, Coerência, Clareza e Concisão.


www.webclayton.com